| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Matéria Prima
Desde: 06/02/2003      Publicadas: 1989      Atualização: 25/08/2008

Capa |  Artigos & cia  |  Cidadão Maringá  |  Comentário  |  Conto  |  Crítica  |  Crônica  |  Entrevista  |  Erramos  |  Geral  |  Livro  |  Moda  |  Opinião  |  Reportagem  |  Você no MP


 Artigos & cia
  11/06/2005
  0 comentário(s)


Lembranças geniais duma mente fantástica
Existem as regras, as linhas retas, os ângulos retos, projéteis e projetos: para vocês existem restos, os restos, os restos: excrementos
Thiago Alonso
o mundo não é feito de sínteses entre contrários, mas de negações trágicas.

pegue sua anfetaminas, suas vitaminas, suas heroínas, que eu te deixei sozinha. pense na vida, faça um aborto, abra uma ferida peixe de olho morto que agora você não é mais minha. enquanto ele pensa em pegar na sua mão, eu já abandonei você e o mundo. está só; eu imundo, como un chien, um cão. mas ainda você me ama: como pode? meu olho um dia ainda explode.

já pensaste em morrer pela guerrilha ou se explodir como mulher-bomba? sua causa poderia ser o fim das ideologias; das idéias fáceis e prontas das ideologias. abandone o rock'n'roll e suas fantasias. vista-se de simples e não acredite mais em nada: nem no amor, nem em deus, nem em ideologias. pense que morrer seria fácil demais. que a morte e a vida são coisas diferentes. que as causas [todas] serão perdidas.

o mundo não é feito de sínteses entre contrários, mas de negações [negações] trágicas.

pegue suas coisas. saia dessa casa. deixe minha cama. não pense mais em nada. esqueça-se de mim. de todas as coisas. tape seus olhos. e não ligue mais. passe pela ponte. descubra o pudor. deixe de pensar que corpo é santuário. vomite toda a bebida barata da noite anterior. encha-se de nojo. de nojo e de ódio. cultive rosas negras. cultive as flores do mal. torne-se lésbica. quebre o sacrossanto do "amai-vos e multiplicai-vos". despedace as imagens. destrua as teorias. seja iconoclasta. viva uma vida nômade. pratique a desobediência civil. divirta-se até a overdose: isso não te excita? eu te seduzi?

porém, dizem as estátuas virgens, isso seria fácil demais: todas as coisas do mundo seriam fáceis demais. seria fácil demais vestir-se de qualquer coisa. seria fácil demais encarnar um papel. seria fácil demais ter uma teoria. seria fácil demais ter uma meta na vida. seria fácil demais acreditar em algo. seria fácil demais ter atitude. seria fácil demais amar todas as pessoas. seria fácil demais odiar todos os seres. seria fácil demais ser um rock star ou boneco pop. ser uma prostituta pobre seria fácil demais.
acreditar em mim mesmo seria fácil demais.

só o fracasso conforta. que exista sua vida maravilhosa mesmo que a minha seja uma merda. tenho tudo: casa, comida e borges. nada em excesso, mas nada falta: dinheiro, limpeza moral, boa reputação: sou pequeno gênio, mas mantenho-me modesto. tenho minhas pequenas perversões; minhas mínimas teorias; segurança: poderia muito bem ser o bom burguês que à casa torna. poderia também me revoltar e me furar. poderia ter todos os caminhos. queria ser o pequeno bandido e sujo. um mendigo, uma puta: poderia ser você. eu devia ignorar tudo o que já foi escrito e ser uma pessoas muito feliz. eu tenho tudo para ser um pessoa feliz. mas existe a dialética: acontece que sou triste.

sejamos realistas: a vida não é uma maravilha. eu sou maravilhoso, mas não a vida. deixemos de lado as hipocrisias, [inclusive a palavra hipocrisia, que é odiosa]. pare com essa mania de felicidade, com essa coisa de depressão: as duas coisas são a mesma coisa. todas as coisas são as mesmas coisas e todos os homens são os mesmos homens. uma vida bastaria para conter todas as vidas e uma palavra [qual?] para conter a totalidade. dizer cão é dizer deus, é dizer eu e os pais desse cão e as tetas que o amamentaram e o homem que o levará para o veterinário e as sarna que o consumará. dizer cão é negar a vida e negar a vida é viver. sejamos algo: a vida está em convulsão agora e na hora de nossa morte, amém. a vida será convulsa, ou não será. não me diga que é feliz: porque não é. você é um cão: você sou eu. mas é mentira: sua vida também é uma merda e isso me conforta.

não me venha se impressionar com estas palavras. não me venha chamar de gênio que isso já sei e estou cansado. não me venha elogiar: dê-me dinheiro que eu preciso dele para me embebedar, que eu preciso vomitar, que eu preciso comprar aquele remédio amarelo para a fígado, que eu preciso acreditar que esse remédio que me curou é deus, que eu preciso louvar quem inventou remédio e acreditar que essa pessoa é deus; para beber novamente para louvar quem inventou a bebida: é um círculo vicioso: eu sou um gênio! eu te impressionei? [eu te impressiono sempre?] calma, não veja meus erros e pense bem na resposta: o que você disser será ridículo e estará entrando no meu jogo. se você se calar, estará se omitindo e será ridículo: estará dentro do jogo. eu te impressionei? se disser "sim": estará compactuando comigo e sendo manipulado por mim [será minha pequena marionete]. se disser "não": estará dando a resposta que espero de você, sendo manipulada [será minha pequena marionete].

eu sou maravilhoso mesmo a vida não sendo. a vida é isso, um jogo sem saída: um pequeno absurdo. isso não é uma conclusão, embora seja o fim embora sem ponto final vou-me embora para sempre

[oh... genial... ridiculamente genial, como não poderia deixar de ser em se tratando de nós]


*Sim, as citações são de Horácio González e André Breton. Mais ou menos.


Este espaço contempla a contribuição - acadêmica ou não - de alunos, docentes ou profissionais que queiram transmitir idéias e gerar reflexões acerca de assuntos de interesse coletivo. Os comentários que não tiverem o nome completo do autor ou email para contato não serão publicados.


  Mais notícias da seção ° no caderno Artigos & cia
08/12/2007 - ° - O ano em que nos tornamos jornalistas
Ano cheio de descobertas, alegrias, tristezas, momentos bons e ruins, que guardaremos sempre em nossas lembranças ...
08/12/2007 - ° - MP prova que bom desempenho depende de compromisso
Para quem acredita que ser jornalista é fácil, o Matéria Prima mostra que jornalismo está ligado a esforço e dedicação ...
08/12/2007 - ° - Esse tal de jornalismo não serve pra mim
Um texto de 30 linhas, um desespero de duas semanas...; não sei dizer o que houve de errado, só espero que tenha sido momentâneo ...
27/10/2007 - ° - Tropa de Elite
01/09/2007 - ° - SATISFIRE - "Tocar com Andréas Kisser foi uma injeção de ânimo"
A banda Satisfire fala sobre as influências de seu novo disco e mostra que nem só de metal vivem os metaleiros....
26/05/2007 - ° - Sem voz, cronista caminha para a glória
Aos 74 anos, escritor sente as pernas tremerem ao escutar seu nome e a voz lhe foge novamente, assim como na infância ...
21/04/2007 - ° - Exageros da síndrome "the greatest hits"
A estratégia das gravadoras é lucrar; para tanto, vale vender as mesmas canções diversas vezes em nome do dinheiro...
14/04/2007 - ° - DeVotchka e a sorte do bilhete premiado
O cinema é o passaporte do sucesso para algumas bandas; ser imigrante na fonografia costuma ser eficiente...
07/04/2007 - ° - As bizarrices da criação literária de Almodóvar
Despudorada e viciada em música dance, a personagem Patty Diphusa exemplifica a juventude espanhola na década de 1980...
31/03/2007 - ° - Maria Antonieta e o (indevido) espírito roqueiro
Na cinebiografia da última rainha francesa, Sofia Copolla abre mão do bom senso estilístico e exagera na dose musical...
07/10/2006 - ° - Uma verdadeira viagem de outro mundo
Vi aqueles "monstros" tomando as cidades, destruindo as casas, as escolas, tudo. Só de lembrar dá um frio na espinha ...
09/09/2006 - ° - Uma noite de Broadway em Paranavaí
O que poderia ser apenas mais uma noite de trabalho transformou-se em uma noite de sonhos...musicados...
01/07/2006 - ° - A Copa do Mundo é delas, das mulheres
No futebol, o público feminino também está batendo um bolão, e não é dentro do gramado, mas em frente à televisão...
29/04/2006 - ° - Conselho de pai
10/12/2005 - ° - A grande contradição do Natal
Temos sempre uma mensagem que contradiz nossos atos, e assim jamais nos responsabilizamos pelo que não fomos capazes de cumprir ...
10/12/2005 - ° - STEPHAN DOITSCHINOFF - "Gosto de viajar para poder pintar, para ter mais inspiração"
Artista plástico paulista que já vendeu telas para o astro Jimmy Page prepara, agora, a arte do novo CD da banda Sepultura...
03/12/2005 - ° - A crise da mentalidade
Banalizamos magníficos meios que, sem seu uso coletivo, se prestam a atender mediocridades da individualidade perversa...
19/11/2005 - ° - O ilusório poder de compra do fim de ano
A falsa idéia da harmonia entre emprego e consumo só poderia mesmo ser sustentada em um sonho natalino...
29/10/2005 - ° - Religião e Cidadania
Com tanto "mico" que nós, brasileiros, já pagamos, como se não bastasse, deixaram mais um "abacaxi" para um povo humilde...
16/09/2005 - ° - Uma história de tirar o fôlego... de tanto rir
O livro "A esdrúxula epopéia de Pelipe e D. Leopolda" é um bom remédio para curar o mau-humor: as risadas são garantidas...



Capa |  Artigos & cia  |  Cidadão Maringá  |  Comentário  |  Conto  |  Crítica  |  Crônica  |  Entrevista  |  Erramos  |  Geral  |  Livro  |  Moda  |  Opinião  |  Reportagem  |  Você no MP
Busca em

  
1989 Notícias