| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Matéria Prima
Desde: 06/02/2003      Publicadas: 1989      Atualização: 25/08/2008

Capa |  Artigos & cia  |  Cidadão Maringá  |  Comentário  |  Conto  |  Crítica  |  Crônica  |  Entrevista  |  Erramos  |  Geral  |  Livro  |  Moda  |  Opinião  |  Reportagem  |  Você no MP


 Artigos & cia
  31/03/2007
  0 comentário(s)


Maria Antonieta e o (indevido) espírito roqueiro
Na cinebiografia da última rainha francesa, Sofia Copolla abre mão do bom senso estilístico e exagera na dose musical
Maria Antonieta e o (indevido) espírito roqueiroThiago Ramari
Quando nasceu o projeto de filmar a história de Maria Antonieta, os responsáveis tinham tudo em mãos para fazer uma grande cinebiografia: conteúdo interessante, direção de renome e dinheiro. Muito dinheiro. Contudo, o resultado final do projeto mostrou que doses exageradas da dita "liberdade poética" podem ruir com qualquer boa idéia.


Se não fosse o dinheiro investido, "Maria Antonieta" seria um fiasco ainda maior. Dirigido por Sofia Copolla, o filme tentou fugir das amarras, sobretudo as musicais, que norteiam a maioria das produções ambientadas em séculos anteriores. Em outras palavras, a música clássica saiu de cena para dar lugar a canções e trilhas mais contemporâneas.

A princípio, a idéia parecia interessante e capaz de fazer de "Maria Antonieta" um filme de época mais criativo. As trilhas atuais ajudariam a compor a personalidade voluptuosa da protagonista, conhecida pelas atitudes fúteis e adúlteras que apresentava. Contudo, o exagero na dose musical, que deveria ficar restrita a momentos bem pequenos e específicos, fez com que a produção se tornasse invariavelmente descontextualizada.

A tentativa de "rejuvenescimento" músico-estilístico no filme deveria figurar como mero atrativo secundário e subordinado às músicas clássicas. Não o inverso. Durante a projeção, são vários os momentos em que bandas como The Strokes, Bow Wow Wow e Gang Of Four dominam o contexto auditivo das cenas. Pobre de Antonio Vivaldi, que teve um dos concertos mais famosos que compôs relegado a planos inferiores.

O filme é também recheado de cenas descartáveis, que, no conjunto final, entediam o espectador. O roteiro se concentra em registrar quase que somente as futilidades da última rainha da França, condenada à guilhotina durante a Revolução Francesa. O problema está nas poucas ligações construídas com o contexto social da época a fim de criar um parâmetro do país. Maria Antonieta só é vista comprando roupas e refletindo sobre o lado bucólico da vida.

Em contrapartida, o filme esbanja investimentos nos quesitos técnicos. É o que "salva" a produção. A direção de arte, o figurino, a fotografia, a maquiagem e a montagem são boas o suficiente para agradar as pupilas espectadoras. A atuação de Kirsten Dunst como Maria Antonieta está longe de ser das melhores. Pela falta de dramaticidade na interpretação invariavelmente pueril, Kirsten parece mais uma Mary Jane com roupas de época.

Avaliação: 6.5

MARIA ANTONIETA " (Marie Antoinette, 2006)
Direção: Sofia Copolla
Produção: EUA, França e Japão
Com: Kirsten Dunst, Marianne Faithfull e Steve Coogan
Na internet - www.sonypictures.com/homevideo/marieantoinette
Veja mais " De Sofia Copolla estão disponíveis em vídeo os filmes "Encontros e Desencontros" e "As Virgens Suicidas"

Imagem/www.dvdrama.com/imagescrit/marie_antoinette_7.jpg

Este espaço contempla a contribuição de alunos, docentes ou profissionais de quaisquer áreas que queiram transmitir idéias e gerar reflexões acerca de assuntos de interesse coletivo. Os comentários que não tiverem o nome completo do autor e email para contato não serão publicados.


  Mais notícias da seção ° no caderno Artigos & cia
08/12/2007 - ° - O ano em que nos tornamos jornalistas
Ano cheio de descobertas, alegrias, tristezas, momentos bons e ruins, que guardaremos sempre em nossas lembranças ...
08/12/2007 - ° - MP prova que bom desempenho depende de compromisso
Para quem acredita que ser jornalista é fácil, o Matéria Prima mostra que jornalismo está ligado a esforço e dedicação ...
08/12/2007 - ° - Esse tal de jornalismo não serve pra mim
Um texto de 30 linhas, um desespero de duas semanas...; não sei dizer o que houve de errado, só espero que tenha sido momentâneo ...
27/10/2007 - ° - Tropa de Elite
01/09/2007 - ° - SATISFIRE - "Tocar com Andréas Kisser foi uma injeção de ânimo"
A banda Satisfire fala sobre as influências de seu novo disco e mostra que nem só de metal vivem os metaleiros....
26/05/2007 - ° - Sem voz, cronista caminha para a glória
Aos 74 anos, escritor sente as pernas tremerem ao escutar seu nome e a voz lhe foge novamente, assim como na infância ...
21/04/2007 - ° - Exageros da síndrome "the greatest hits"
A estratégia das gravadoras é lucrar; para tanto, vale vender as mesmas canções diversas vezes em nome do dinheiro...
14/04/2007 - ° - DeVotchka e a sorte do bilhete premiado
O cinema é o passaporte do sucesso para algumas bandas; ser imigrante na fonografia costuma ser eficiente...
07/04/2007 - ° - As bizarrices da criação literária de Almodóvar
Despudorada e viciada em música dance, a personagem Patty Diphusa exemplifica a juventude espanhola na década de 1980...
07/10/2006 - ° - Uma verdadeira viagem de outro mundo
Vi aqueles "monstros" tomando as cidades, destruindo as casas, as escolas, tudo. Só de lembrar dá um frio na espinha ...
09/09/2006 - ° - Uma noite de Broadway em Paranavaí
O que poderia ser apenas mais uma noite de trabalho transformou-se em uma noite de sonhos...musicados...
01/07/2006 - ° - A Copa do Mundo é delas, das mulheres
No futebol, o público feminino também está batendo um bolão, e não é dentro do gramado, mas em frente à televisão...
29/04/2006 - ° - Conselho de pai
10/12/2005 - ° - A grande contradição do Natal
Temos sempre uma mensagem que contradiz nossos atos, e assim jamais nos responsabilizamos pelo que não fomos capazes de cumprir ...
10/12/2005 - ° - STEPHAN DOITSCHINOFF - "Gosto de viajar para poder pintar, para ter mais inspiração"
Artista plástico paulista que já vendeu telas para o astro Jimmy Page prepara, agora, a arte do novo CD da banda Sepultura...
03/12/2005 - ° - A crise da mentalidade
Banalizamos magníficos meios que, sem seu uso coletivo, se prestam a atender mediocridades da individualidade perversa...
19/11/2005 - ° - O ilusório poder de compra do fim de ano
A falsa idéia da harmonia entre emprego e consumo só poderia mesmo ser sustentada em um sonho natalino...
29/10/2005 - ° - Religião e Cidadania
Com tanto "mico" que nós, brasileiros, já pagamos, como se não bastasse, deixaram mais um "abacaxi" para um povo humilde...
16/09/2005 - ° - Uma história de tirar o fôlego... de tanto rir
O livro "A esdrúxula epopéia de Pelipe e D. Leopolda" é um bom remédio para curar o mau-humor: as risadas são garantidas...
11/06/2005 - ° - Lembranças geniais duma mente fantástica
Existem as regras, as linhas retas, os ângulos retos, projéteis e projetos: para vocês existem restos, os restos, os restos: excrementos...



Capa |  Artigos & cia  |  Cidadão Maringá  |  Comentário  |  Conto  |  Crítica  |  Crônica  |  Entrevista  |  Erramos  |  Geral  |  Livro  |  Moda  |  Opinião  |  Reportagem  |  Você no MP
Busca em

  
1989 Notícias