| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Matéria Prima
Desde: 06/02/2003      Publicadas: 1989      Atualização: 25/08/2008

Capa |  Artigos & cia  |  Cidadão Maringá  |  Comentário  |  Conto  |  Crítica  |  Crônica  |  Entrevista  |  Erramos  |  Geral  |  Livro  |  Moda  |  Opinião  |  Reportagem  |  Você no MP


 Geral

  23/06/2008
  0 comentário(s)


Vila garante festa todos os anos aos visitantes

Agüenta Santo Antonio; junho é mês em que solteiros de plantão fazem fila no bairro em busca de um milagre do padroeiro

Vila garante festa todos os anos aos visitantesKelli Moraes
Segundo histórico da igreja, a paróquia Santo Antônio de Pádua foi a primeira criada em Maringá, após a instalação da diocese em outubro de 1960. A igreja é mais conhecida na cidade devido à festa de Santo Antônio, que ocorre desde a fundação da comunidade. O padre José Moreira Silveira, 36, pároco há cinco anos, esperava para este ano que mais de 50 mil pessoas participassem da festa. "A partir do momento em que eu entrei na paróquia, procurei ir aperfeiçoando para resgatar a tradição das festas juninas que estava se perdendo, e assim garantir também uma festa familiar e para todas as idades." Não se sabe se o número de visitantes chegou a tanto, mas ninguém também se preocupou com isso. O importante é que, mais uma vez, a festa agradou, segundo participantes.

No domingo, dia 15, muitas pessoas foram ao evento para garantir um pedaço de bolo de Santo Antônio e tentar encontrar a medalhinha abençoada para alcançar uma graça. Todos os anos, o bolo é feito com doações e mão-de-obra da comunidade, tradição que começou em 2001. No início, o bolo chegava a 50 metros de comprimento, atualmente varia entre 100 e 150 metros.

A história da medalhinha do santo veio de uma paróquia de São Paulo que coloca as medalhas espalhadas pelo bolo. Segundo o pároco, a idéia é de que todos gostariam de receber a medalhinha e fazer um pedido em busca de uma graça. "Nós trouxemos para a nossa paróquia, colocando 10 mil medalhas dentro do bolo." A busca pela medalhinha atrai pessoas de várias partes da cidade, inclusive de outras religiões. "Quando nós partimos o bolo a média é de 25 mil a 30 mil pedaços, e geralmente todos os anos tem faltado."

O padre relata ainda que por causa das medalhinhas e da fé de cada pessoa, até já fez casamentos. São, segundo ele, testemunhos de pessoas que receberam o casamento por meio das graças de Santo Antônio.

Mônica de Souza, 23, diz sempre participar da festa com a família e amigos. "Todos os anos quando eu posso, vou à festa e compro o bolo de Santo Antônio. Já encontrei uma medalhinha, mas até hoje estou solteira. Quem sabe este ano Santo Antônio me ajuda a desencalhar."

O secretário da paróquia e ministro eucarístico Marco Lindolfo Quirino, 42, mora no bairro há 23 anos. Sempre vai às atividades que a paróquia oferece, principalmente, a festa de Santo Antônio, na qual colabora como tesoureiro. Para ele, os principais atrativos são o bingo e o bolo com as medalhas abençoadas.

Maria Petarin Gaspar, 56, moradora do bairro há 35, trabalha em seu próprio negócio há 10 anos. A empresária diz sempre ir à festa com a família para provar do famoso bolo. "O bolo é o carro-chefe."
Roberto Araújo Macedo, 59, é aposentado e mora no bairro há pouco mais de um ano. Ele diz que não freqüenta as missas, mas é comum ir à festa com a família tomar um quentão.

Já Aparecida Pizzo, 51, é viúva e reside no bairro desde que nasceu. "Às vezes vou às missas, mas faz tempo que não vou às festas. Este ano eu quero sair um pouco de casa e ir à festa de Santo Antônio para comer uma pipoquinha e tomar um vinho quente."

Moradora do bairro há pouco tempo, Edineia de Souza Raisi Grigório, 34, tem uma lan house no local há dois anos, onde trabalha com o marido. "Muita gente vai à festa por causa do bolo com as medalhinhas, mas o comércio fica o mesmo. Minhas expectativas para este ano são que melhore."

A estudante Ana Paula Zimmermann, 20, moradora do Jardim Vitória há dois anos, participa de todos os eventos e missas da comunidade Santo Antônio. Ela diz ter ido uma vez à festa, e ajudou na organização. "O que mais me chamou a atenção foi a devoção dos fiéis e, sem dúvida, a fila de metros e metros que eles enfrentavam para conseguir um pedaço do bolo."

Imagem/Kelli Moraes
Pessoas passam horas na fila para garantir um pedaço do bolo

OS COMENTÁRIOS QUE NÃO TIVEREM O NOME COMPLETO DO AUTOR E EMAIL PARA CONTATO NÃO SERÃO PUBLICADOS
  Autor: Kelli Moraes


  Mais notícias da seção ° no caderno Geral
11/08/2008 - ° - Asilo São Vicente de Paulo ampara idosos na Zona 21
Instituição filantrópica cuida de 80 idosos, criando ambiente familiar aos internos, que têm suas carências atendidas...
11/08/2008 - ° - Fundo de vale é desrespeitado na Zona 21
Moradores sofrem com perigo da região do córrego Nazareth, enquanto prefeitura discute como regularizar problemas...
11/08/2008 - ° - Segurança pública remete tranqüilidade à Zona 21
Moradores sentem-se mais seguros depois da transferência dos presos da 9ª SDP para o Centro de Detenção Provisória...
11/08/2008 - ° - Construções impulsionam crescimento da Zona 21
Maior poder aquisitivo da população propicia investimento na construção de novas casas, expandindo-o...
11/08/2008 - ° - Milhares de brasileiros optam pela EaD
A cada ano a procura por cursos ministrados a distância aumenta devido à praticidade e alcance das aulas on-line...
07/07/2008 - ° - PUC será construída em bairro carente
Após dois anos sem sede própria, Pontifícia Universidade Católica vai construir prédio no Conjunto Requião, em Maringá...
07/07/2008 - ° - Topiaria embeleza casa de pedreiro no Requião
Artista popular utiliza técnica de esculpir plantas e chama a atenção pela arte e criatividade presente nas esculturas...
07/07/2008 - ° - No Requião, o que mais aflige é a insegurança
O bairro tem saúde, escola e ATI, mas, segundo moradores, a violência não pára e a segurança deixa a desejar...
30/06/2008 - ° - Ponto de encontro reúne moradores do Parque Itaipu
População do bairro se encontra todos os fins de semana e feriados para jogar malha, baralho ou bingo ...
30/06/2008 - ° - Moradoras encontram no artesanato uma terapia
Mulheres do Parque Itaipu desenvolvem diversas atividades artísticas, fazem amizade e trocam habilidades manuais...
30/06/2008 - ° - Moradores antigos traçam panorama do Parque Itaipu
População da Zona 47 descreve perfil do bairro mostrando como a região se desenvolveu ao longo dos 27 anos de fundação...
23/06/2008 - ° - Capela Santo Antônio deu nome à zona 11
Bairro foi nomeado em homenagem a templo cristão que já existia na região antes do seu loteamento, em 1949...
16/06/2008 - ° - Caçula relembra início do Maringá Velho
Casa de madeira da época da colonização e sua moradora acompanharam o cotidiano do pioneirismo maringaense...
16/06/2008 - ° - ATI da Zona 6 não beneficia público alvo
Academia da Terceira Idade é ocupada por jovens, que impedem pessoas acima de 60 anos a usufruir dos equipamentos ...
16/06/2008 - ° - Primeira igreja urbana de Maringá é da Zona 6
A Capela Santa Cruz, fundada em 1946, é um exemplo de conservação de patrimônio histórico e de trabalho pioneiro...
16/06/2008 - ° - Maringá Velho tem importância histórica
Segundo levantamento do IBGE o bairro abriga pouco mais 4.000 pessoas nos seus 877.967 metros quadrados...
16/06/2008 - ° - Produção de DVD marca 30 anos de Femucic
Pela primeira vez, as imagens do evento estarão em um dispositivo de áudio e vídeo para o público assistir em casa...
09/06/2008 - ° - Hortas do Alvorada dão café e até quiabo grande
Sementes importadas da Bolívia geram quiabos de dois metros e fazem aposentado ficar conhecido no bairro...
09/06/2008 - ° - Rádio abre espaço para os moradores do Alvorada
A São Francisco FM 105,9, dá oportunidade para a população do bairro criar seu próprio programa radiofônico...
09/06/2008 - ° - Programas sociais tiram adolescentes das ruas
Entidades no Jardim Alvorada funcionam como contraturno escolar e oferecem atividades artísticas e culturais...
03/06/2008 - ° - Solidariedade leva comida a 56 famílias
Aulas de teatro, coreografias de dança e sopa são oferecidos por entidade filantrópica do bairro há seis anos...
03/06/2008 - ° - Pioneira e sua mercearia fortalecem a comunidade
Primeiro estabelecimento comercial no Parque das Laranjeiras ainda vende fiado, integrando moradores do bairro...
03/06/2008 - ° - Laranjeiras aguarda "Saúde da Família"
Vereadores pretendem acabar com a precariedade do atendimento médico no bairro com a implantação do PSF...
03/06/2008 - ° - Parque das Laranjeiras reclama serviço de saúde
Moradores do bairro pedem mais atenção da prefeitura também às questões de falta de lazer e policiamento...
19/05/2008 - ° - Alunos ajudam na coleta de recicláveis
Reciclar também se aprende na escola; esta é a proposta da Escola Municipal Deputado Federal Ulysses Guimarães...
19/05/2008 - ° - Escola realiza a inclusão educacional
A Escola Municipal Deputado Federal Ulysses Guimarães atende três alunos com deficiência em classes de ensino regular...
19/05/2008 - ° - Saúde desagrada moradores no Conjunto Thais
População reclama da falta de posto no bairro e da distância que percorrem em busca de atendimento médico...
19/05/2008 - ° - Livro sobre "caso Barão" disputa prêmio estadual
"O Arquiteto", de Thiago Ramari, recém-graduado pelo Cesumar, foi indicado para o 13º Sangue Novo de Jornalismo ...
19/05/2008 - ° - Preço leva população à Farmácia Popular
É a 12ª unidade no Paraná e vai funcionar em parceria com a prefeitura; remédios terão preços até 90% mais baixos...
05/05/2008 - ° - Jovens do Liberdade têm cursinho pré-vestibular
Professores voluntários, proporcionam oportunidade para estudantes do bairro que querem ingressar no ensino superior...



Capa |  Artigos & cia  |  Cidadão Maringá  |  Comentário  |  Conto  |  Crítica  |  Crônica  |  Entrevista  |  Erramos  |  Geral  |  Livro  |  Moda  |  Opinião  |  Reportagem  |  Você no MP