| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Matéria Prima
Desde: 06/02/2003      Publicadas: 1989      Atualização: 25/08/2008

Capa |  Artigos & cia  |  Cidadão Maringá  |  Comentário  |  Conto  |  Crítica  |  Crônica  |  Entrevista  |  Erramos  |  Geral  |  Livro  |  Moda  |  Opinião  |  Reportagem  |  Você no MP


 Livro
  19/08/2006
  0 comentário(s)


Beatniks na estrada da contracultura
On The Road, obra de Jack Kerouac, até hoje ainda é a ideal para se levar na mochila pegar a estrada
Beatniks na estrada da contraculturaFlávia Bortolon
Enquanto o American Way of Life (modo de vida americano) deslumbrava o mundo, alguns poucos "malucos" pegavam o caminho, a estrada inversa. O primeiro movimento americano contracultura foi o beat geração, preconizado por Jack kerouac. Os beatniks, como ficaram conhecidos, eram jovens que, desestimulados com o modo de vida urbano pós-guerra, regados de jazz, sexo, drogas e literatura, resolveram cair na estrada.

Pé na estrada (on the road), livro escrito em 1955 por Kerouac no melhor estilo beatnik: em um rolo de papel de teletipo, tornou-se a bíblia daquela uma geração. Mas a obra também inspirou ídolos jovens de diversas épocas desde Bob Dylan a Cazuza. Os beatniks são os pais dos hippies e avôs dos punks.

Em 2004, a editora L&PM contando com a tradução, introdução e posfácio de Eduardo Bueno, lançou o livro pela primeira vez no Brasil. A obra Pé na estrada (On The Road) conta a história de dois amigos que decidem cruzar os Estados Unidos pedindo carona, com pouco ou nenhum dinheiro. O leitor mais atento poderá perceber que se trata das aventuras de Jack kerouac com seu amigo o poeta beat Allen Ginsberg.

Lançado em pocket book (livro de bolso) é ideal para levar na mochila e pegar "a estrada do místico, a estrada do louco, a estrada do arco-íris, a estrada dos peixes, qualquer estrada..." (pagina 305).

OS COMENTÁRIOS QUE NÃO TIVEREM O NOME COMPLETO DO AUTOR E EMAIL PARA CONTATO NÃO SERÃO PUBLICADOS
  Autor: Flávia Bortolon


  Mais notícias da seção ° no caderno Livro
09/09/2006 - ° - Ode para a medíocre sociedade decadente
No romance "Vermelho e o Negro," Stendhal caracteriza a sociedade vasta de muita ambição e de pouca coragem individual...
25/06/2005 - ° - LUZIA DE MARIA - "O segredo é o prato bem colorido, como a paleta do pintor"
Orientar os jovens sobre os riscos da má alimentação é o desafio da escritora no livro "Te Cuida!", lançado pela Vozes...
09/10/2004 - ° - MARIA ANTONIETA VOIVODIC- “É perigoso pensarmos em criar uma sociedade de ‘iguais’”
Em livro, publicado pela Vozes, psicóloga paulista propõe acesso de crianças com Síndrome de Down a salas de aulas comuns...



Capa |  Artigos & cia  |  Cidadão Maringá  |  Comentário  |  Conto  |  Crítica  |  Crônica  |  Entrevista  |  Erramos  |  Geral  |  Livro  |  Moda  |  Opinião  |  Reportagem  |  Você no MP