| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Matéria Prima
Desde: 06/02/2003      Publicadas: 1989      Atualização: 25/08/2008

Capa |  Artigos & cia  |  Cidadão Maringá  |  Comentário  |  Conto  |  Crítica  |  Crônica  |  Entrevista  |  Erramos  |  Geral  |  Livro  |  Moda  |  Opinião  |  Reportagem  |  Você no MP


 Opinião
  23/06/2008
  0 comentário(s)


Respeito marca 100 anos de imigração
A cultura japonesa contribuiu tanto para o crescimento econômico quanto cultural do país no último século
Respeito marca 100 anos de imigraçãoTalita Tossi
Este ano comemora-se os 100 anos da imigração japonesa no Brasil. Em 1908, a chegada do navio Kasato Maru foi o responsável pela vinda de japoneses que representariam o marco do hibridismo cultural construído com muito respeito.
Atualmente o país possui o maior número de japoneses fora do Japão, segundo dados da ACCIJB (Associação para Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil). A comunidade nipo brasileira é estimada em 1,5 milhão de descendentes de japoneses. A cultura daquela região fixou-se no Brasil. Do Oriente foram trazidas artes como a dos origamis, cerimônias do chá, o kabuki, entre outras. Também técnicas, como a da produção de bonsais, mas o que tornou essa cultura tão popular foram os mangas e os animes que estão de forma ativa na vida dos brasileiros.

A bola de futebol não é paixão nacional dos orientais, mas lá, o kendo representa toda efemeridade e honra dos samurais, bem como o sumô, uma luta de mãos limpas, algo que não se vê por aqui há muito tempo.

Clima contrastante, o tropical versus o temperado, o sol e a neve, aqui 00h17, lá 12h17, samba no pé ou ouvir o som de um koto, a fusão de uma política presidencialista com a monarquia parlamentarista e, é claro, um país com dimensões continentais diante de um país insular, a terra do sol nascente.
Não é só por aqui que se lê prosas e poesias, Machado de Assis, José de Alencar, Oswald de Andrade. Do Oriente veio o haikai, uma forma poética, concisa e objetiva de escrever. Vê-se aí uma vertente jornalística.

Impossível falar do Japão sem falar de seu grande símbolo; a cerejeira. Flores de Sakura, que além de estarem aliadas à efemeridade dos samurais devido à sua vida curta, representam o amor e compõem também o cardápio dos orientais.

Por falar em cardápio japonês, no Brasil encontramos restaurantes orientais por toda parte. Sushis e sashimis, tofu ou missoshiro, a culinária do Japão é leve e saudável, rica e muitíssimo apreciada pela nação verde e amarelo.

Fica claro que nestes100 anos a imigração japonesa concomitantemente a cultura brasileira gerou bem mais que um tratado de amizade, mostrando que o respeito e a flexibilidade entre nações é fundamental para uma sociedade homogênea e eqüitativa.

E no corre corre das redações, nem mesmo a calmaria japonesa é capaz de brecar a angústia da mídia pela "verdade". Foi neste clima rígido que a Equipe Matéria Prima trouxe a você uma crítica que mostra como os meios de comunicação atropelam a Justiça, negligenciando e influenciando a opinião pública.

O Japão cresceu significamente em relação à tecnologia e não é que essa tal de modernização deu novos ares a nossa Amazônia? Nesse ritmo atualizado, Jacqueline Wismeck não hesitou em contar, a partir de uma crônica pertinente, a história de um índio que vive as transformações amazônicas.

E se a culinária japonesa é mesmo leve, pode ser um recurso para que você tenha uma dieta saudável, mas caso isso não resolva, uma possibilidade de receita pode ser o artigo de Marla Drews, que mostra que nem sempre medicamentos ajudam a emagrecer, alertando ainda para os riscos de tais substâncias.

A tradição japonesa atravessou oceanos e instalou-se por aqui, e não é que diante de tal miscigenação cultural Kelli Moraes atravessou a cidade e encontrou na Vila Santo Antônio uma festa autêntica e brasileiríssima? Trata-se de uma comemoração que atraí solteiros de várias partes da cidade em busca da medalinha de Santo Antônio, cuidadosamente colocada dentro de um pedaço de bolo.

Rafael Pignatti não deixou por menos, foi até a Vila Santo Antônio e descobriu que uma capela deu nome ao bairro, antigamente rodeado por fazendas. Esses e outros assuntos você encontra nesta edição do jornal Matéria Prima. E, em ano de centenário da imigração, não poderíamos deixar de agradecer como manda a tradição:
Ótima leitura e arigatô!

Imagem/ http://www.centenario2008.org.br/index.php?option=com_frontpage&Itemid=1

OS COMENTÁRIOS QUE NÃO TIVEREM O NOME COMPLETO DO AUTOR E EMAIL PARA CONTATO NÃO SERÃO PUBLICADOS
  Autor: Talita Tossi


  Mais notícias da seção ° no caderno Opinião
11/08/2008 - ° - Alucinógenas ou não, o importante é consciência
Ainda que sejam prejudiciais à saúde, drogas como maconha e cigarro fascinam jovens com promessa de status social...
11/08/2008 - ° - Quarenta anos do ano que mudou o mundo
Puramente revolucionário,1968 reuniu as transformações mais significativas para a sociedade contemporânea ...
07/07/2008 - ° - Mais que avaliar, Enem promove cidadania
Instrumento de avaliação do aprendizado auxilia pais no momento de escolher uma boa escola para os filhos...
07/07/2008 - ° - Campanhas eleitorais esquentam o clima
Possibilidade de mudança faz da votação um emblema de cidadania e manifestação dos direitos civis...
30/06/2008 - ° - Campanha pede um país menos corrupto
Projeto de lei complementar encampado pela igreja busca conscientizar eleitores contra maus políticos...
30/06/2008 - ° - Edição para degustar,como alimento sadio
Ter hábitos saudáveis é o sonho de qualquer pessoa, e vão da boa alimentação até a leitura de bons textos...
23/06/2008 - ° - Nem sempre remédio ajuda a emagrecer
Indicados apenas em casos de obesidade, muitos ainda recorrem aos medicamentos sem mudar o estilo de vida...
16/06/2008 - ° - Os médicos também precisam se tratar
Os profissionais da saúde que trabalham na rede pública sofrem com a carga horária elevada; faltam funcionários...
16/06/2008 - ° - Prepare o agasalho, pois o inverno pede passagem
A nova estação se aproxima e tudo indica que, ao contrário dos últimos anos, as temperaturas vão cair ...
09/06/2008 - ° - Preservar hoje para construir o amanhã
Floresta Amazônica ainda sofre com a ação do homem, que causa malefícios ao planeta por meio de desmatamentos e queimadas...
09/06/2008 - ° - As diferentes formas da conduta humana
O homem vive em constante mudança, de caráter e comportamento; há fatores que o fazem evoluir ou não como individuo...
03/06/2008 - ° - A mídia excede, sim, mas nem tudo está perdido
Tragédias familiares e escândalos sexuais revelam o lado mais obscuro, mas às vezes necessário, da imprensa...
19/05/2008 - ° - Cuidar do planeta é lição de casa e também da escola
Desrespeito sobre o próprio homem e a natureza põe em xeque as leis naturais; é preciso parar e salvar o planeta...
05/05/2008 - ° - Homogeneidade como forma de inclusão
A negação das diferenças é o recurso utilizado pelo MEC para combater a discriminação de pessoa com deficiência...
05/05/2008 - ° - Para incluir é preciso também integrar
Futuros repórteres apresentam compromisso de sociabilidade, respeito e cidadania por meio de matérias e opiniões...
28/04/2008 - ° - Mudanças nos planos de saúde ainda são tímidas
Convênios abrem espaço para atendimento de psicólogos e nutricionistas, mas erram no número de consultas...
28/04/2008 - ° - Caso Isabella ainda imobiliza o País
A sociedade não se dá conta que a todo instante várias Isabellas perdem a vida e, sem comoção, passam despercebidas...
21/04/2008 - ° - O tema individualismo e o fenômeno "matar"
Os homens não pensam nos interesses coletivos e matam para atender aos próprios desejos, constituindo, assim, um fenômeno social aparente...
21/04/2008 - ° - Produzir jornal requer espírito de olimpíada
Em ritmo acelerado e competitivo, estudantes de jornalismo disputam maratonas diárias em busca da melhor reportagem...



Capa |  Artigos & cia  |  Cidadão Maringá  |  Comentário  |  Conto  |  Crítica  |  Crônica  |  Entrevista  |  Erramos  |  Geral  |  Livro  |  Moda  |  Opinião  |  Reportagem  |  Você no MP